Fertilidade feminina: Confira hábitos que comprometem

A poluição, o tabagismo e a alimentação inadequada são algumas das causas desta situação.

Postado em 16/11/2017.

São muitas mulheres com problemas de fertilidade, por este motivo, ter um filho é uma realidade distante. Apesar disto, os vilões dessa frustração poderão estar bem próximos de você. O tabagismo, o sedentarismo, a obesidade, além do estresse, são apenas alguns dos fatores que poderão atrapalhar o sonho de se ter um bebê.

Qualquer fator que possa alterar o funcionamento convencional do organismo da mulher poderá provocar algumas irregularidades reprodutivas, até mesmo a poluição e o estresse. Para especialistas em reprodução humana, a infertilidade feminina é o resultado de uma série de fatores que podem fazer parte do dia a dia. A idade avançada e as doenças, entre elas a endometriose, são as principais causas do problema, apesar disto, os agentes externos e hábitos de vida são determinantes quando falamos de reprodução.

Veja alguns hábitos que podem comprometer a fertilidade feminina:

Fertilidade feminina: Confira hábitos que comprometem

A Poluição

A partir de pesquisas de especialistas, não existe uma comprovação científica com relação a interferência de poluição atmosférica na saúde feminina, o que não elimina a possibilidade de haver uma relação próxima entre os aspectos.

A poluição poderá alterar os níveis de hormônios femininos de forma que pode causar um desequilíbrio proporcionando assim um aumento na possibilidade de ocorrer a infertilidade. A relação entre a poluição e a infertilidade é algo muito coerente com o que os médicos pensam sobre a interferência dos aspectos externos na saúde das mulheres. Ela acaba se encontrando no equilíbrio, quando exposta á poluição sonora, do ar e até mesmo poluição visual, com isto o seu organismo tenta se adaptar a uma nova realidade e isso exige uma alteração hormonal.

A exposição a situações anormais de sobrevivência poderão alterar a quantidade, bem como a qualidade de ovulação, com isto poderá haver mais ou menos ciclos menstruais férteis ao longo da vida da mulher.

Procure respirar fundo e relaxar

Esta é uma das mais importantes armadilhas contra as futuras mamães. Quanto maior for a vontade de ser mãe, mais tensa poderá ser e ficar a mulher, esta que passa a criar expectativas, provocando desta forma um atraso maior na hora dos resultados. Com isto a espera pela maternidade, muitas vezes gera um enorme estresse na mulher que passa a fiscalizar o seu ciclo menstrual, criando assim expectativas e cobranças. Tudo isto não apenas atrasa o processo, e gera culpas e traumas, o interessante é procurar atividades que possam relaxar e não focar tanto nos resultados, mas sim nas tentativas.

Conte com um cardápio equilibrado

Uma boa dieta, que seja rica em legumes, frutas e verduras, além do cálcio e magnésio, acabam regulando os hormônios, evitando os males da obesidade e ajudando a manter o corpo e a mente equilibrados. Procure sempre que possível ficar de olho no cardápio, nas refeições balanceadas, estas que ajudam a manter os hormônios em dia, o cansaço longe e o corpo funcionando de forma bastante equilibrada.

Utilize medicamentos apenas sob prescrição médica

Existem alguns tipos de medicamentos de utilização contínua que podem gerar má formação no feto. Por este motivo, procure conversar com seu médico sobre os seus riscos. Os antidepressivos, antibióticos, e quimioterápicos por exemplo, de forma geral, poderão proporcionar alterações na ovulação feminina, gerando assim a infertilidade. Levando isto em conta, procure sempre utilizar medicamentos somente sob prescrição médica.

Evite também alguns vícios

Alguns vícios podem dificultar o ato de engravidar, como por exemplo o cigarro, que diminui o tempo fértil dos óvulos femininos aumentando assim taxas de abordo espontâneo, e antecipando assim a chegada de menopausa.

O álcool em excesso também interfere no funcionamento dos ovários, gerando desta forma irregularidades na menstruação, a ausência de ovulação e aumento de riscos de aborto.